Como manter os melhores talentos na empresa

ceolab-manter-talentos-700

Por Maria do Carmo Tombesi Guedes Marini*

O Global Recruiting Trends 2016 do LinkedIn aponta que a retenção de talentos passará a ser prioridade ao longo deste ano. Infelizmente, as organizações carecem de políticas e processos que gerem melhores resultados, principalmente com foco no desenvolvimento das pessoas. A habilidade do ser humano é – e sempre será – o fator-chave para o sucesso de qualquer empresa.

Dessa forma, é fundamental responder à pergunta: como é possível reter os talentos que tornam a sua corporação diferenciada?

Ruy Shiozawwa, do Great Place to Work Brasil, citou os fatores que fazem as pessoas permanecerem em seus locais de trabalho. Os dados da pesquisa foram publicados em abril de 2015, coletados entre profissionais de diferentes faixas etárias, ou seja, das diversas gerações que estão no mercado. A remuneração e os benefícios não são mais suficientes para tornar o emprego interessante. Para os jovens, a oportunidade de crescimento é o fator com maior significância (56%) para continuar numa empresa.

Um ponto muito importante há alguns anos, a estabilidade no emprego, não tem mais o mesmo apelo, seja entre os mais jovens ou os mais velhos. Na realidade, poucos se interessam em ter suas posições garantidas se a qualidade de vida não for satisfatória. O equilíbrio entre questões pessoais e profissionais passou a ser a grande conquista de todos. Ninguém está mais disposto a sacrificar inteiramente a família, a saúde e os momentos de lazer para ter uma boa carreira.

O alinhamento entre os valores da companhia e os pessoais passa a ter um importante significado, especialmente para os profissionais com mais de 40 anos, momento em que a maioria dos executivos atinge o auge de seu desenvolvimento no mercado de trabalho.

A cultura da organização deve ser forte, além de atrativa: tem papel fundamental em manter os funcionários mais relevantes. A identificação com os valores da empresa faz com que as pessoas sintam prazer e causa motivação para trabalhar, com aumento da produtividade e muito mais lealdade. Uma corporação que se disponha a reter seus talentos precisa criar um ambiente onde a confiança na administração seja claramente compartilhada entre todos e inspirada em sua visão e objetivos.

A companhia precisa ter responsabilidade com seus funcionários, que querem sentir-se apoiados em seu crescimento e desenvolvimento contínuos. Da mesma forma, a lealdade e o compromisso desses empregados devem ser explicitamente medidos e recompensados. Todos desejam ser valorizados constantemente; não apenas quando recebem propostas de trabalho melhores em outras empresas.

Obviamente, uma organização com valores claros e éticos irá remunerar seus empregados com justiça e de acordo com as exigências do mercado. Também terá uma política de benefícios compatível com as necessidades das pessoas. E, ainda, respeitará a vida pessoal de todos, não exigindo esforços além dos limites normais que possam prejudicar relações familiares, saúde ou bem-estar.

Claro que sempre poderão existir aqueles que estão trabalhando apenas para receber o salário no final do mês. Cabe à empresa descobrir por que estão desmotivados, se estão na função adequada a seu perfil, se estão passando por momentos pessoais complicados. Funcionários que já estão desmotivados a ponto de se preocuparem com dinheiro ou estabilidade, mais do que com qualquer outra coisa, não tomarão nenhuma iniciativa para mudar a situação. São os líderes que precisam ouvi-los com disponibilidade e descobrir como resgatar esses talentos perdidos, se for possível. Em último caso, é melhor afastá-los antes que afetem o comportamento de colegas.

Mais do que nunca, é importante lembrar que a gestão de pessoas exige um processo de comunicação assertivo. É necessário garantir que as informações circulem de forma rápida, sem ruídos, chegando a todos os envolvidos. Funcionários devem participar das discussões importantes para o crescimento da empresa, ou poderão sentir-se desprezados e pensar que seus esforços são insignificantes para o resultado final.

Divulgar informações relevantes, como indicadores internos, de produtividade e RH, além de dados sobre o mercado, lançamentos e desafios futuros ajuda muito no processo de engajamento de todos e permite que a equipe compreenda o contexto e participe de forma mais efetiva do negócio.

Um fator que deve ser considerado é a participação, cada vez maior, da geração Y no mercado, que tem como uma de suas principais características o engajamento em uma causa. É fundamental que essa geração perceba sua participação nos negócios e tenha suas ideias ouvidas.

Informações e processos de desenvolvimento, tais como mentoria, coaching e treinamentos, oferecidos pela organização podem também acrescentar clareza sobre o futuro, fazendo com que os colaboradores se esforcem mais para aprender e preparar-se para os próximos desafios. O estímulo à troca de ideias, a abertura para a participação em novos projetos, a oportunidade de adquirir novas competências, tudo isso poderá ser fator de compromisso e aumento de produtividade.

Não custa lembrar, em resumo, que a retenção de empregados engajados e motivados está intimamente ligada à valorização das pessoas, à justa remuneração e às oportunidades de crescimento que a companhia possa oferecer para eles. Se for preciso, uma boa pesquisa de clima organizacional para identificar os pontos fortes e as brechas para melhoria poderá ser o primeiro passo para um processo efetivo de retenção de talentos. Por outro lado, fazer com que o funcionário seja corresponsável no planejamento de sua carreira poderá gerar comprometimento com os objetivos e valores da sua empresa.

*Consultora de Desenvolvimento de Pessoas e Coach
carmo@navitasconsult.com.brceolab-manter-talentos-700b

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments

comments